Alegre em tempo molhado



Observa da janela
Chuva que cai insistente
Uma expressão solitária
A perseguir tanta gente

Da vidraça fechada
Admira com ternura
Menino a brincar na chuva
Sem medo da travessura

Quer ser como o menino
De alegria despreocupada
Vislumbrar todas as cores
Mesmo em paisagem nublada

Deseja a obstinada chuva 
 A recarregar energia
A aliviar o coração
Daquele que se angustia

Agradece por tudo que existe
Até pela chuva insistente
Sabe que após tempestades
O sol brilha novamente

(Autora: Aline Brandt - Todos os direitos reservados/Lei dos Direitos Autorais N° 9610/98)

Postagens mais visitadas